Projeto prevê que Coral União torne patrimônio histórico imaterial do município

por Câmara Municipal de Estância Velha publicado 17/08/2016 12h55, última modificação 17/08/2016 12h56

O Projeto de Lei que prevê que o Coral União torne patrimônio histórico imaterial do município foi lido na Sessão Ordinária da última terça-feira, 16. A matéria é de autoria do Executivo e agora será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O PL 061/2016, que prevê o tombamento do Coral União, tornando-o assim patrimônio histórico imaterial do município será analisado pela CCJ. Após analise, a matéria irá para votação em plenário. Na mesma noite, mais quatro matérias foram lidas na Sessão.

De autoria do Executivo o  PL 059/2016 que “ dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para elaboração e execução da Lei Orçamentária para o Exercício financeiro do ano de 2017”, que ficou pautado por três Sessões Ordinárias foi lido pela última vez e foi encaminhado para analise da CCJ.

Os PL’s 060/2016 (Mesa Diretiva), que “cria o cargo de advogado no quadro de servidores efetivos da Câmara de Vereadores”; 062/2016 (Executivo), que “autoriza o Poder Executivo a conceder auxilio financeiro à Associação Gaúcha Estanciense – AGE” e 063/2016 (Executivo), que “abre crédito especial no valor de R$ 116.506,38” , foram encaminhados para a CCJ.

A próxima Sessão Ordinária ocorre na terça- feira, 23, às 19 horas no Plenário da Câmara Municipal e como de costume haverá transmissão ao vivo pelo YouTube. 

 

O que é patrimônio cultural imaterial?

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Patrimônio Cultural Imaterial compreende as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados e que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural. Transmitido de geração em geração, esse patrimônio é mantido e permanentemente recriado pelas comunidades e grupos em função de sua interação com o meio em que vivem e com a sociedade mais ampla.


Texto: Anderson Weiler 

Foto: Divulgação 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados